quarta-feira, 15 de agosto de 2018

COMO A CRISE ECONÔMICA CHEGOU AO MUNICÍPIO DE COELHO NETO

Sem uma política efetiva para mudar este quadro tenebroso de falta de iniciativa e projetos do governo, o município vive o encolhimento econômico

Foto: Reprodução

Após a paralisação do Grupo Industrial João Santos, o município passou a depender economicamente de três setores díspares: Previdência Social, Bolsa Família e Prefeitura, os quais, juntos eram responsáveis pela circulação do dinheiro que aquecia a sua economia e mantinha a estabilidade do Comércio local que, por sua vez, mantinha o emprego de muita gente.

Porém, sistematicamente, veio o endividamento de um número significativo de beneficiários e a estagnação do Bolsa Família. Mas, a situação agravou-se mesmo a partir de janeiro de 2017, com a instauração da “nova ordem política no município.


Foto: Reprodução
Lamentavelmente, a gestão municipal não estabeleceu ainda um estilo de administração capaz de normalizar a prestação de serviços públicos e restaurar a qualidade de vida da população. Ao invés disso, demitiu os que considerou “contra” para, em seguida, contratar ou nomear pessoas de outras cidades por conta de conchavos ou de favores políticos.

O efeito negativo disso tudo atingiu em cheio a maioria dos comerciantes e dos empresários locais. Aposentados e pensionista endividados, ou não pagaram ou diminuíram o valor da compra de alimentos. Os que dependiam da prefeitura passaram a sobreviver do estagnado Bolsa Família, fator que também reduziu o poder de compra dessas famílias. 
Foto: Reprodução
Por conta dessa realidade, por exemplo, o comércio que faturava 3 mil reais por semana passou a faturar 300 reais; quem mantinha cinco empregados passou a manter dois.

O pior disso tudo é que a prefeitura não está fazendo nada para conter os impactos da crise. Tirou o emprego dos que mais precisavam, envolveu-se em escândalos de corrupção e reduziu os serviços prestados à população ou promoveu a queda na qualidade.

O jeito agora é esperar que chegue o momento do povo virar essa página negra da história do município.

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

COMUNIDADE RURAL DE DUQUE BACELAR (MA) RECEBE ÁGUA POTÁVEL

Foto: Reprodução

Agora foi a vez da comunidade Centro dos Lopes ser contemplada com um Sistema Simplificado de Abastecimento de Água. Aos poucos a prefeitura vai resolvendo esse problema histórico da zona rural. O prefeito Jorge Oliveira/PCdoB e o Secretário da Infraestrutura José Júnior estiveram naquele povoado onde fizeram a entrega do benefício. 

Há oito anos os moradores convivam com a escassez de água. 
Foto: Reprodução
De janeiro de 2017 para cá somam-se 13 poços artesianos servindo às comunidades rurais de Duque Bacelar. ¨Água é vida. A nossa gestão está antenada com os problemas que afligem a nossa gente, e é principalmente para os que mais precisam que estamos trabalhando¨, disse o prefeito.
Foto: Reprodução
O secretário José Júnior elogiou o empenho da prefeitura para atender aos reclamos da população. ¨Tem sido gratificante trabalhar na gestão de Jorge Oliveira. Ele é focado, determinado e tem-nos dado as condições necessárias para realizações como essa¨, disse.

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

O EXEMPLO QUE A JUVENTUDE PRECISA TER

Foto:Álbum da família
Talvez a indisponibilidade da juventude (ou de pelo menos parte dela) para a política esteja ligada umbilicalmente às decepções que ela tem sofrido a cada pleito eleitoral que se realiza.

Contudo, para outros mais destemidos, as decepções são superadas com a persistência da participação ativa e do exercício de formiguinha com o propósito de materializar projetos nessa área, atualmente tão desacreditada.

Diria que esse exemplo está claro em nosso meio, na pessoa de Romário Mendes, ex-concorrente à Câmara de Coelho Neto, na eleição proporcional de 2012, 

"Realmente eu mudei meu domicílio eleitoral para Afonso Cunha, município que me acolheu no momento em que eu mais precisava. A generosidade do prefeito Arquimedes me permite trabalhar e conviver diariamente com os problemas da população", disse Romário ao justificar a sua atitude.

Casado com a santa Ivana Machado (como diria o Faustão) e pai do Ian, ele se tornou numa espécie de Assessor para Assuntos Imediatos da prefeitura de Afonso Cunha, sobretudo, na área da comunicação. 

Segundo ele, a confiança do prefeito Arquimedes Bacelar no seu trabalho fortaleceu a sua convivência com aquela comunidade e fez nascer a vontade de se filiar a um partido político. "Vejo no prefeito Arquimedes um trabalhador determinado e preocupado com o município. Logicamente, uns poucos não têm sobre ele a ótica que eu tenho, mas faz parte do exercício da democracia", salientou.

Romário Mendes, conhecido em nosso meio por Tony Black, pode ser um exemplo para todo jovem, decepcionado ou não com a politica, de que a determinação, gratidão e fidelidade podem ser o diferencial na construção do futuro deste país.

LIDERANÇAS DE COELHO NETO (MA) DEMONSTRAM MOTIVAÇÃO EM TORNO DA CANDIDATURA DE ZÉ GENTIL

O grupo político liderado pelo ex-vereador daquele município Edvaldo Alves - o Val, esteve reunido na última quarta-feira (08), para definir as ações em torno da candidatura de Zé Gentil/PRB, para deputado estadual.

Foto: Richard Cabrera

Edvaldo Alves pediu o empenho de todos e apresentou ao grupo o nome de Kleber Verde, também do PRB, para deputado federal, o que foi aceito pelo grupo. Val anunciou que está se articulando para apresentar nos próximos dias a chapa completa que o grupo deverá apoiar.

Ficou acertado também que na próxima reunião cada membro apresentará seus aliados, prevendo-se aí a presença de mais de 100 pessoas.

Todos foram a favor da unidade do grupo. Edvaldo Alves ficou incumbido de articular uma reunião com lideranças dos demais grupos que apoiam Gentil no município no sentido de formarem uma grande célula política com o mesmo objetivo.

Foto: Richard Cabrera

Durante os discursos ficou claro que o grupo está motivado para a campanha que se avizinha, o que promete ser uma disputa acirrada e bastante favorável, especialmente, para Gentil e Kleber Verde
.






























segunda-feira, 23 de julho de 2018

DUQUE BACELAR (MA) VAI RECEBER AMPLIAÇÃO DO MAIS ASFALTO



Governo do Estado determinou um levantamento para atender ao pleito da prefeitura para ampliar a pavimentação asfáltica da cidade.

Foto: Reprodução

O prefeito Jorge Oliveira/PCdoB estará recebendo nos próximos dias técnicos da Secretaria de Estado da Infraestrutura – SINFRA que virão a Duque Bacelar para realizarem um levantamento minucioso das ruas e avenidas da cidade que serão beneficiadas pelo Programa Mais Asfalto.
Foto: Reprodução (Prefeito Jorge Oliveira e o Secretário Kleiton Noleto)
Semana que passou, o prefeito esteve em São Luís para audiências com o governador Flávio Dino/PCdoB e o secretário Kleiton Noleto, oportunidade em que solicitou a ampliação do Mais Asfalto para o seu município.

“Jorge Oliveira nunca foi ao governador Flávio Dino para voltar de mãos vazias. Sua gestão em Duque Bacelar já entrou para a história como a melhor administração que o povo já viu”. Isto foi o que afirmou o Secretário Municipal da Infraestrutura, José Júnior demonstrando grande satisfação pela ampliação do Mais Asfalto em Duque Bacelar.


LIDERANÇAS POLÍTICAS LOCAIS E REGIONAIS SE UNEM À COMUNIDADE PARA SALVAR A APAE DE COELHO NETO (MA).



Na tarde de sábado, (21), a sede da entidade foi palco de exuberante gentileza, solidariedade e emoção.

O convidado de honra foi o prefeito de Caxias Fábio Gentil/PRB, que chegou acompanhado da sua esposa Letícia Gentil, do seu pai José Gentil que também é pré-candidato a deputado estadual pelo PRB e comitiva.

A caravana Gentil foi recebida pela elite da política local na pessoa da ex-prefeita daquele município Márcia Bacelar, do seu esposo e ex-deputado Antônio Bacelar, do ex-vereador Edvaldo Alves da Silva (Val), do suplente de deputado estadual Raimundo Silva e do vereador Moabe Branco, os quais compareceram ladeados dos seus principais aliados e correligionários.


Lá dentro, um público atento e esperançoso aguardava os convidados desde às 2 da tarde.


A participação dessas personalidades políticas em favor da APAE se deu a partir do conhecimento público de que a entidade, segundo seus diretores, estaria sofrendo terrível perseguição política, arquitetada pela gestão do petista Américo de Sousa.

A presidenta da entidade, senhora Maria dos Rogais deu as boas-vindas ao público e convidados, gesto que foi seguido por todos os oradores.

A fundadora da APAE, Marlene Coelho, que também foi vereadora de Coelho Neto por seis mandatos consecutivos, num discurso em que externou uma série de sentimentos, foi taxativa ao reafirmar que os excepcionais estariam sofrendo dura perseguição pela prefeitura, deflagrando, inclusive, um movimento para esvaziar a reunião. “Mandaram funcionários de casa em casa, convidando a população para um centro de apoio que foi fundado há poucos dias, com o propósito de fechar a APAE de Coelho Neto. Isso é perseguição política, meu povo! ”, disse.


Ela citou o prefeito de Caxias Fábio Gentil como um potencial colaborador, o qual, solidário à entidade, decidira se associar à luta em favor do seu funcionamento. 

Marlene, informou que foi Fábio Gentil quem pagou a conta de energia e os profissionais da APAE. “Eu só tenho uma forma de reconhecer e agradecer o que esse grande homem está fazendo pelos excepcionais. “A porta que Deus abre, homem nenhum fecha”, concluiu.

Outro destaque foi o discurso do ex-vereador Edvaldo Alves, o Val. Inicialmente, relembrou sua entrada para a política, tempo em que conheceu a então vereadora Márcia Bacelar. 


Conforme explicou, Márcia nem sonhava em ser prefeita de Coelho Neto. E foi o grupo que apoiava os Bacelar tradicionais, do qual ele era integrante, que a incentivou. O resultado, segundo ele, foi uma administração brilhante e realizadora. “Depois de tanto trabalho, nos envergonha o caos instalado atualmente em nosso meio: a perseguição, o chicote e a incompetência”, externou.

Emocionado, Val acrescentou que a partir do reconhecimento da atual realidade do município procurou Fábio Gentil. “Foi, com muita cautela, calma e paciência que consegui chegar ao Fábio Gentil, uma pessoa que já ajuda Coelho Neto através do sistema de saúde do seu município. É lá, em Caxias, que encontramos auxílio, que nos socorremos, que temos atenção e respeito quando precisamos de assistência médico-hospitalar. E, agora, o Fábio, num gesto que somente os homens abençoados por Deus podem ter, estende a sua solidariedade à APAE”, disse.


O vereador de Coelho Neto Moabe Branco, repudiou a suposta perseguição que a APAE estaria sofrendo por parte da gestão petista. "Estou na Câmara para defender os interesses da comunidade coelhonetense. E esse tipo de comportamento não é digno de uma gestão que se diz séria". Na Câmara vamos combater isso", assegurou. 


“O que me preocupa é que lutamos muito para chegar ao ponto em que nós chegamos. Sabemos que as obras serão eternizadas em função do seu benefício social, mas o que verificamos em nosso município foi o desejo, o manifesto de fechar a APAE”. Isto foi o que disse ex-deputado Antônio Bacelar ao se reportar sobre o motivo da reunião. “Fico muito preocupado quando um governante não procura conservar as obras que foram construídas com recursos do povo”, acrescentou.


A ex-prefeita Márcia Bacelar falou da sua satisfação em estar revendo amigos. Ela reconheceu o que chamou de “boa vontade” do Val, Raimundo Silva e seus amigos em se aproximarem da fundadora da APAE Marlene Coelho com o propósito solidário. “Eu também tenho-me colocado à disposição, porque entendo que pode até existir uma outra instituição, mas não se deve fechar as portas de uma outra que faz tanto bem ao povo, especialmente aos que mais precisam de saúde”, enfatizou.

Ela explicou que para estar ali, primeiro teve que ir a Caxias juntamente com seu esposo. Destacou que Caxias é uma cidade bem cuidada. “Quando entrei na prefeitura, percebi que ali tinha uma administração justa e com vontade de servir ao povo”, elogiou.

Demonstrando disposição para a ir à luta e bastante carismática, ela enalteceu a pessoa de Fábio e José Gentil, para depois reafirmar seu engajamento na luta pela APAE. 


José Gentil lamentou a situação da APAE de Coelho Neto e também se prontificou à luta em prol da entidade. “Lamento muito que alguns governantes não saibam deixar a sua passagem pelo poder com bons propósitos, sem maltratar ninguém”, disse.


O discurso mais esperado foi o do prefeito Fábio Gentil. Ele desmentiu a publicação de um blog da prefeitura de Coelho Neto. “A gente ajuda com ônibus e com toda estrutura, pois sabemos que quem procura a APAE é porque precisa da instituição. Faço isto não porque seja bom, mas, porque, na função de prefeito, eu tenho que respeitar a vontade e a necessidade do povo de Caxias", afirmou. 

Ele informou que quando a ex-vereadora Marlene chegou a sua casa, com simplicidade e demonstrando ser uma mulher combatente, foi surpreendido ao vê-la pedir, não para si, mas para a APAE de C. Neto. "Eu disse para mim mesmo: a prefeitura de Caxias não pode atuar dentro da cidade de Coelho Neto, mas eu, como ser humano, posso e vou ajudar”, disse.

Fábio ainda renovou o compromisso com a APAE: “O dinheiro da prefeitura não pode ser aplicado em Coelho Neto, mas do meu salário eu faço o que bem quiser e parte dele será destinada a esta APAE”, prometeu. 









terça-feira, 17 de julho de 2018

SUPLENTE DE DEPUTADO ESTADUAL PARTICIPA DA ABERTURA DO FESTEJO À PADROEIRA DE COELHO NETO (MA)




O suplente de deputado estadual Raimundo Silva/MDB participou da abertura do festejo da padroeira do município de Coelho Neto (MA), Nossa Senhora Sant’Ana, ontem (16).

Durante o tradicional levante do mastro, ele foi bastante assediado por fieis e eleitores. Tirou fotos, distribuiu abraços e cumprimentos.

Homem simples, católico, atuante e participativo nos movimentos sociais, culturais e religiosos do município, ele repetiu o que tem feito anualmente: ajudou a carregar o mastro, assistiu à missa e aproveitou para cumprimentar amigos, correligionários e simpatizantes.

“Eu faço questão de estar nos movimentos dessa natureza. Primeiro, porque sou católico, sou do povo e amo a minha cidade. Segundo, porque não existe nada mais prazeroso do que reencontrar amigos, compartilhar abraços e bênçãos com nossos irmãos católicos”, externou Raimundo Silva de forma sentimental.