sexta-feira, 23 de junho de 2017

SOLINEY SILVA REÚNE AMIGOS E CRIA O MOVIMENTO 'PELO BEM DE COELHO NETO'

Foto: Reprodução
A reunião que deliberou sobre a criação do movimento Pelo Bem de Coelho Neto  aconteceu na manhã de hoje, 23, no espaço onde funcionou a antiga Churrascaria Cheiro da Terra.

O movimento objetiva unir o povo em um Ato Público, definido na mesma reunião para o dia 1º de Julho, às 7 da manhã, ao lado do imóvel onde funcionou a Secretaria de Obras, próximo ao Quartel de Polícia.

Na oportunidade foi aprovada a logomarca do Movimento e a mídia de divulgação do ato público. 

Nos próximos dias acontece paralelamente aos preparativos do ato público a ampliação da cúpula do Movimento.

Tumulto na Câmara Municipal de Coelho Neto - MA

Vereadores pedem a cabeça da secretária de saúde do município
Secretária de Saúde na guilhotina da Câmara
A Numa sessão tumultuada os vereadores conseguiram ler o relatório da CCJ sobre a prestação de contas do exercício 2010, de responsabilidade do ex-prefeito Soliney Silva (PMDB). A matéria chegou a Câmara depois de ter sido aprovada por unanimidade pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE. A previsão que entre na pauta de votações até o dia 5 de agosto.
  
A sessão teve um princípio de tumulto na plateia e agressões verbais no Plenário.
O assunto que dominou as discussões foi a intervenção do vereador Dr. Ricardo, decididamente convertido à bancada da oposição.
Foto (Daniel Pcn) Dr. Ricardo pede exoneração de Cristiane Bacelar

O parlamentar do PPS usou a tribuna para pedir o afastamento de Cristiane Bacelar (SD) da pasta da Saúde. Ele justificou o seu pedido no fato do nome da secretária constar no rol dos gestores “ficha suja”. Cristiane teria o nome adicionado à lista depois da rejeição de suas contas quando gestora da Assistência Social do município em 2005.

Dr. Ricardo se disse disposto a pedir a exoneração de Cristiane na Justiça caso o prefeito Américo de Sousa (PT) não tome essa atitude. O oposicionista foi surpreendido pelo ataque de xenofobia do vereador Wilson Vaz (PT do B) ao tentar defender a permanência da secretária Cristiane no cargo. Ele alegou que Dr. Ricardo não mora em Coelho Neto e, portanto, não precisa da estrutura do município. Afirmou que Ricardo teria feito esse tipo de comentário em Caxias - MA.

Wilson Vaz radicalizou para defender o governo

Os peemedebistas Rafael Cruz e João Paulo foram  solidários ao pleito do colega de bancada e manifestaram apoio à saída de Cristiane, depois de comentarem o comportamento administrativo da secretária.

Curiosamente, o pleito de Dr. Ricardo foi reforçado pelos vereadores da base governista Reginaldo Jansem (Cará) e Júnior Santos, ambos do PMDB. Eles criticaram o atendimento nos Postos de Saúde. Porém, Júnior Santos foi o mais enfático ao criticar o modo como a secretária Cristiane conduz o setor. Segundo ele, a secretária não dá atenção à base aliada, não atende as ligações telefônicas nem aos vereadores.

Ao final da sessão , Wilson Vaz e Dr. Ricardo ainda trocaram farpas, mas não chegaram às vias de fato porque foram impedidos por alguns colegas.

Parece mesmo que o parlamento está contaminado pela ditadura comunista. Pobre povo!

Corrupção

STF abre novo inquérito contra Aécio, por lavagem de dinheiro

O senador afastado será investigado pelo suposto recebimento de mais de R$ 60 milhões em propina por meio de notas fiscais frias da JBS

 
O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) (Joel Rodrigues/Frame/Estadão Conteúdo)
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello decidiu nesta quinta-feira abrir um novo inquérito para investigar o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) pelo crime de lavagem de dinheiro. O pedido de abertura foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a partir das delações premiadas de executivos da JBS. O tucano já é alvo de denúncia por corrupção passiva e obstrução de Justiça no STF, sob análise de Marco Aurélio.

Quando pediu o novo inquérito, a PGR apontou necessidade de investigar três pontos: “o pagamento de propina da ordem de mais de 60 milhões de reais feito em 2014 ao parlamentar por meio da emissão de notas fiscais frias a diversas empresas indicadas por ele”, o pagamento a diversos partidos para apoiarem a candidatura à Presidência da República em 2014 e “o pagamento de dinheiro em espécie feito diretamente a Frederico Pacheco de Medeiros, primo do Senador e por este indicado para receber os valores”.
Janot também diz que Aécio Neves, depois de passada a campanha eleitoral de 2014, procurou Joesley Batista pedindo recursos financeiros, e o delator teria concordado em comprar um imóvel superfaturado em Belo Horizonte por 17 milhões de reais por uma pessoa indicada por Aécio, a fim de que o dinheiro chegasse ao senador afastado.

O diretor de relações institucionais da empresa, Ricardo Saud, disse à PGR em seu acordo de delação premiada que o senador afastado recebeu o dinheiro na campanha de 2014 em troca da resolução de problemas da JBS em Minas Gerais, então governado pelo senador tucano Antonio Anastasia (PSDB). “Se ele ganhasse o governo ele ia pagar a gente em forma de benefício”, disse o delator.

Segundo Saud, parte do valor, 13,5 milhões de reais, foi paga à PVR, empresa de Paulo Vasconcelos, marqueteiro da campanha do tucano, e 6 milhões de reais a uma empresa do instituto de pesquisas Sensus. De acordo com o delator, as duas empresas, ambas fornecedoras da campanha de Aécio, firmaram contratos fictícios com a JBS para justificar o recebimento dos valores. Ele também relatou a “compra” de partidos à campanha presidencial do tucano, como o PTB e o Solidariedade.
No outro inquérito aberto contra Aécio Neves no STF a partir dos delatores do Grupo J&F, ele é acusado de solicitar e receber 2 milhões de reais do empresário Joesley, dono do grupo. As entregas do dinheiro, feitas a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio, foram filmadas pela Polícia Federal. Além do senador afastado e Pacheco de Medeiros, também foram denunciados a irmã do tucano, a jornalista Andrea Neves, e o ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG), Mendherson Souza Lima.

Em nota, a defesa Aécio Neves disse que recebe a informação com naturalidade por se tratar de desdobramento da denúncia inicial. “A investigação demonstrará que não se pode falar em lavagem ou propina, pois trata-se de dinheiro de origem lícita numa operação entre privados, portanto sem envolver recurso público ou qualquer contrapartida. Assim, não houve crime”, disse o advogado Alberto Zacharias Toron.

Andrea Neves vai para 1ª instância
Também nesta quinta-feira, Marco Aurélio Mello determinou o desmembramento da investigação aberta contra Andrea, Pacheco de Medeiros e Souza Lima. Os acusados serão julgados pela primeira instância da Justiça de São Paulo, local onde os acusados foram gravados em ações controladas da Polícia Federal a partir das delações da JBS.
O pedido de desmembramento foi feito no início da semana pela defesa de Andrea Neves. Os advogados alegaram que ela não tem foro privilegiado e, por isso, não pode ser julgada pelo Supremo.
Na terça-feira, a Primeira Turma do Supremo, presidida pelo ministro Marco Aurélio, determinou que Andrea Neves, Frederico Pacheco e Mendherson Souza Lima passem a cumprir prisão domiciliar com monitoramento por tornozeleira eletrônica. Eles haviam sido presos na Operação Patmos, deflagrada no dia 18 de maio.

(com Agência Brasil e Estadão Conteúdo)


quinta-feira, 22 de junho de 2017

A hora de falar é agora!

Oposição se agiganta contra fraudes em licitações da  prefeitura de Coelho Neto - MA


Foto enviada por um seguidor do blog
A oposição vai requerer judicialmente as cópias das atas das licitações que firmaram contrato com as empresas COTRAL – Construções e Transportes do Maranhão Ltda e a HN Construções de Vargem Grande (MA).

O objetivo é o de esclarecer toda a verdade envolvendo interesses financeiros da ordem de mais de R$ 5,5 milhões dos cofres públicos do município.

A falta de transparência nos processos licitatórios envolvendo essas empresas, suspeitas de favorecimento por parte do prefeito Américo de Sousa (PT), e a forma interesseira como descartou possíveis concorrentes, deixou empresários locais indignados com a gestão petista.

A oposição vai também pedir oficialmente a ajuda do MPE no sentido de trazer à luz o que há de escuro nesses pleitos licitatórios.
Foto: Arquivo
A solicitação tem por base a obra do SAMU, em que uma empresa que foi considerada inabilitada afirmou em publicações anteriores que o preço apresentado pela COTRAL não é o mesmo publicado no Diário Oficial e na placa em frente a obra.

Pelo visto, o prefeito Américo de Sousa vai ter muita dor de cabeça.

Vereador da base aliada promete radicalizar em defesa do povo de Coelho Neto (MA)

Vereador da base aliada promete radicalizar em defesa do povo de Coelho Neto (MA)
Foto: Reprodução

Informações apontam que Wilson Vaz estaria desiludido da gestão petista

O desmantelo tomou conta do governo petista em Coelho Neto (MA). Como se não bastasse a onda de denúncias de tudo quanto é lado, as coisas começam a desmoronar também na Câmara Municipal, onde alguns vereadores da base aliada prometem radicalizar.

Pelo menos esta é a informação que chegou ao blog. O vereador Wilson Vaz (PT do B), depois de rondar a cidade e a zona rural, e ser cobrado pela população das promessas de campanha do governo petista, resolveu conferir in locco a veracidade dessas denúncias.

Iniciou, então, certa aferição pela Educação, onde se avolumam queixas sobre o transporte escolar. Em companhia  do seu colega de parlamento, Marcos Tourinho (PDT), visitou a garagem improvisada, no pátio externo da Quadra de Esportes Uiran Sousa.

Foto: Reprodução

Segundo a fonte, o vereador Wilson Vaz, ao constatar o sucateamento da frota, teria dito em alto e bom som que dali em diante não iria mais poupar o governo das suas omissões, que iria mesmo ficar do lado do povo.

A verdade é que, caso Wilson Vaz decida realmente por em prática essa atuação, estará sem dúvida, respaldado na opinião dos eleitores que lhe deram a maioria de votos na eleição.


É o mínimo que se pode esperar de um parlamentar.

Vamos acompanhar para sabermos como vai se comportar o vereador a partir da sessão desta quinta-feira, 22.

PMBD assume comando da oposição em Coelho Neto – MA

PMBD assume comando da oposição em Coelho Neto – MA
Foto: Reprodução

Lideranças do PMDB de Coelho Neto (MA) estiveram reunidas ontem, 21, para discutirem assuntos relacionados ao projeto político da sigla, enquanto oposição no Estado e naquele município.

A reunião deu-se na casa do ex-prefeito Antônio Cruz, e contou com a presença dos também ex-prefeitos Waltenir Lopes (presidente do diretório municipal), Soliney Silva (presidente estadual de honra da agremiação) e dos vereadores João Paulo e Rafael Cruz.

O anfitrião Antônio Cruz fez as exposições iniciais e considerou a desistência de uns e o afastamento de outros líderes para anunciar que o PMDB assumia, ali, oficialmente, o comando da oposição.

Destacou que o grupo e a sigla estão abertos para receber oposicionistas, órfãos dessas lideranças, de modo a unificar a luta e as ideias em torno de um objetivo comum, que seria a retomada do poder a partir das próximas eleições.

O destaque da reunião ficou por conta da presença do vereador João Paulo, o qual, conforme admitiu, esteve até pouco tempo integrando a base governista.

JP afirmou que foi um dos peemedebistas que realmente buscou espaço na Câmara, mas que agiu depois de um entendimento com Soliney Silva, cuja articulação o elegeu 2º secretário da Mesa Diretora.

Salientou que não conseguiu se adaptar ao grupo da situação, liderado pelo petista Américo de Sousa a quem considerou um excêntrico ditador.

O parlamentar aproveitou para anunciar que o grupo liderado pelo PMDB estava recebendo um reforço significativo com a vinda do também vereador Dr. Ricardo (PPS), ausente na reunião, mas que, segundo JP, decididamente incorporado.

O vereador Rafael Cruz reafirmou o compromisso de continuar o bom combate na Câmara. O parlamentar disse em alto e bom som que vai votar pela aprovação das contas do ex-prefeito Soliney, em tramitação na CCJ da casa, e permanecer articulado no grupo com vistas o pleito de 2018.

O presidente do partido e ex-prefeito Waltenir Lopes falou da importância da unidade do grupo para o sucesso do projeto político ali vislumbrado. Com relação à prestação de contas de Soliney Silva, disse não vê dificuldade na sua aprovação, citando o parecer favorável do TCE. Acrescentou que já teria, inclusive, marcado uma reunião com os cinco vereadores do partido para tratarem do assunto.
Foto: Reprodução

O ex-prefeito Soliney Silva, na condição de liderança maior do partido e da oposição, fez uso da palavra e, primeiramente, externou sua gratidão com o povo de Coelho Neto. Lamentou a desordem administrativa do município e a situação dolorosa do povo. Afirmou saber que o prefeito Américo de Sousa seria um desastre para o município.

Depois de discorrer sobre o que considerou a confortável posição do grupo Sarney no cenário político, para o pleito de 2018, Soliney iniciou seu discurso paroquial.

Com relação à prestação de contas, sob sua responsabilidade, teceu críticas ao presidente da Câmara, Osmar Aguiar (PT). Este, segundo Soliney, estaria lhe negando o direito de defesa. “O engraçado disso tudo é que, mesmo as contas tendo sido aprovadas por unanimidade no TCE, sem qualquer interferência externa, ele me coloca como réu e não me notifica! Engraçado! A minha curiosidade agora é saber o que ele vai mandar colocar no relatório da CCJ?!”, ironizou.

Soliney afirmou que está tranquilo com relação às contas. Disse ver nos vereadores do partido pessoas sensatas, compartes do seu governo. “Acredito não ser necessário pedir esse apoio. Eu me sentiria até constrangido. Por isso, espero que possam discernir sobre essa matéria da melhor forma possível”, disse.

Outros assuntos de igual relevância foram tratados, mas, atendendo a estratégia do partido, este blog estará divulgando em outra oportunidade.


terça-feira, 20 de junho de 2017

SECRETARIA DE SAÚDE DE COELHO NETO (MA) SE NEGA A AJUDAR MULHER COM CÊNCER


Nestas horas as pessoas apelam para o S.O.S Val

D. Lucélia 
O ex-vereador e, agora, comunicador social Edivaldo Alves da Silva - Val, tem sido o socorro de pessoas que se sentem abandonadas e discriminadas pela gestão do prefeito Américo de Sousa (PT). O celular do ex-vereador não para. Na maioria das vezes são pacientes denunciando ou pedindo ajuda para resolver um problema de saúde.

Numa dessas chamadas, este portal resolveu acompanhar o requisitado Val. A ligação veio da Rua do Cedro, Bairro Parque Amazonas, onde mora a lavradora Lucélia Maria Sousa da Silva, 44 anos, mãe de 6 filhos, dos quais 4 são menores, ainda infantes.

D. Lucélia é uma coelhonetense como muitas: desempregada, sem nenhum benefício assistencial do governo, morando em condições subumanas, lutando contra um câncer desde 2013 e, mesmo nestas condições, obriga-se a quebrar coco babaçu para garantir o sustento dos filhos.


A lavradora esteve na capital São Luís, durante anos, fazendo tratamento no hospital Aldenora Bello. De lá foi encaminhada para fazer novos exames no hospital São Marcos, em Teresina-PI.

Ocorre que a paciente Lucélia não tem condições de se deslocar até a capital do Piauí para buscar o resultado dos exames, por isto resolveu pedir ajuda à Secretaria de Saúde. Chegando lá, manifestou sua vontade de falar com a secretária Cristiane Bacelar, mas foi informada que a mesma estava em reunião e por isto não poderia atendê-la.

Desolada, a paciente resolveu fazer o seu pleito, ali mesmo, para a atendente. Ao que foi informada que a secretaria não dispunha de transporte para tanto.

A resposta é no mínimo desumana. Como pode, uma secretaria que já recebeu quase 8 milhões de reais, não poder disponibilizar um transporte para uma paciente com tal doença, já em estado consideravelmente avançado?!
Val: o "Cara Legal"

Tudo que a lavradora Lucélia precisa, com urgência, é receber os resultados dos exames e ser novamente encaminhada ao Hospital Aldenora Belo, na capital do Estado, para continuar o delicado tratamento.

Como de praxe, tentamos contato com a secretaria de saúde, mas ninguém atendeu nem retornou nossas ligações.

Bastante solidário, o ex-vereador Val está iniciando uma campanha para arrecadar alimentos para Lucélia. Maiores informações, ligue: 0XX 98 98208-3445 ou na Rua do Cedro, s/n, Parque Amazonas, próximo à casa do irmão Joelson.